Vias Metabólicas

Com o aumento da atividade, devido ao exercício,  vias metabólicas são consumidas:

  • Via Fosfocreatina
  • Via Glicolítica 
Via Fosfocreatina:
    Creatina é produzida no corpo e se direciona para o músculo, local onde vai ser fosforilada. Ocorrendo qualquer necessidade de energia acontece uma lise na molécula de fosfocreatina, liberando Pi para formação de energia (ATP).


Via da Glicólise: Quando ocorre uma maior necessidade de energia, os CHO são degradados pela via glicolítica, gerando moléculas de ATPs, piruvato, NAD ( reduzido) e H+( causa fadiga/ deixa o meio ácido).

Gráfico:
[02] <-> Exercício <-> CHO


Lacatato e a [H+] estão associados a menor [02] e o aumento do esforço.

Alta [O2]: Ocasiona FAD e NAD oxidado.

Quando existe concentração de O2 suficiente o ciclo de Krebs gira , fazendo com que ocorra maior formação de ATP.

Aumento da [O2] -> GLICOSE -> piruvato -> Ciclo de Krebs

Condição de hipóxia - Baixa [O2] -> Glicose - > piruvato - > lactato

Nesta condição existe uma alta concentração de H+, por que não haverá 02 para que esse próton seja ligado e liberado na forma de água, assim não interferindo na acidificação do meio.

H+ + 02 + 4e- -> H20

Exercício x Coenzima





NAD+ -> Essa forma de coenzima é necessário como receptor de elétrons para que o piruvato seja oxidado.
GLIC + 2NAD+ + 2ADP + 2Pi -> 2 Piruvato + 2 NADH + 2H+ + 2ATP + 2H2O

A incapacidade de regenerar o NADH em NAD + deixaria a célula sem receptor de e- para a oxidação do gliceraldeido 3 fosfato e as reações libertadoras de energia da glicose cessariam. O NAD+ precisa, portanto, ser regenerado por meio de outros processos.

Estoques Energéticos
João Pedro Castelo Branco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia Também: