Nova equação para estimar o gasto energético em obesos graves

          Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, desenvolveram uma nova equação para estimar o GER (gasto energético de repouso), no qual oferece resultados mais precisos do que as equações disponíveis atualmente para indivíduos com obesidade grave.

          A pesquisa fez parte do projeto de mestrado da nutricionista Lilian Mika Horie, sob orientação do professor doutor Dan Linetzky Waitzberg, em que inicialmente compararam as equações preditivas existentes com a calorimetria indireta e, em seguida, tiveram o objetivo de desenvolver uma nova equação com base em compartimentos da composição corporal.

         Foram avaliados 120 pacientes gravemente obesos (37 homens [30,8%] e 83 mulheres [69,2%]), com IMC (índice de massa corporal) de 34,4 a 61,0 kg/m2 e idade entre 18 e 62 anos.

        Os participantes foram submetidos à avaliação antropométrica, composição corporal e gasto energético de repouso durante duas semanas. As medidas antropométricas incluíram avaliações do peso corporal e altura para determinação do IMC, que foi calculado através do peso dividido pela altura ao quadrado.

       A avaliação da composição corporal foi realizada pelo aparelho de bioimpedância elétrica (BIA) multifrequencial, sendo estimada através de equação específica para pacientes com obesidade grave.

       O gasto energético de repouso foi medido por calorimetria indireta e calculado de acordo com a equação de Weir (1949):
Taxa metabólica basal (TMB) = 3,9[VO2(l/min)] + 1,1[VCO2 (l/min)]
VO2 = volume de oxigênio
VCO2 = volume de dióxido de carbono
GER (kcal / dia) = TMB x 1,440 min

         As equações preditivas para GER utilizadas para comparação foram: Harris-Benedict (1919), Ireton-Jones (2002), Owen (1986-1987) e Mifflin (1990).

          Quando calculado pela equação de Harris-Benedict (1919), o GER foi superestimado em +185 kcal para homens e subestimado em -114 kcal entre as mulheres. A equação de Ireton-Jones apresentou valores que variaram de -699 a +435 kcal. As equações de Owen e Mifflin superestimaram em +273,2 kcal e +166,5 kcal, respectivamente.

           A partir dos resultados obtidos, uma nova equação de predição do GER foi proposta utilizando dados da massa magra (MM), obtida pela BIA, e peso corporal.

           Assim, a nova equação, denominada Horie-Waitzberg & Gonzalez, foi expressa em:



GER = 560,43 + (5,39 × peso atual) + (14,14 × massa magra)


           A equação Horie-Waitzberg & Gonzalez foi testada em uma subamostra para validação (n = 60) e mostrou uma diferença insignificante (± 43 kcal) quando comparada ao GER calculado pela calorimetria indireta, proporcionando melhores resultados, como maior exatidão e precisão do que as outras equações preditivas.

           “Em nosso estudo, a nova equação foi desenvolvida para estimar o GER especificamente de obesos graves, utilizando variáveis de peso e massa magra como os principais contribuintes para o gasto energético. Surpreendentemente, as variáveis de idade e sexo não foram preditores significativos para o GER desses pacientes”, comentam os autores.

           “Nossa nova equação parece promissora e útil para os nutricionistas durante o planejamento nutricional de pacientes com obesidade grave. No entanto, serão necessários mais trabalhos de validação para confirmar a sua utilidade na prática clínica”, concluem.

Fonte: Nutritotal

Referência(s)

Horie LM, Gonzalez MC, Torrinhas RS, Cecconello I, Waitzberg DL. New Specific Equation to Estimate Resting Energy Expenditure in Severely Obese Patients. Obesity (Silver Spring). 2011 Jan 13. [Epub ahead of print]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia Também: